sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Perguntas sobre Dietas!

Estava lendo a Revista Women´s Health e olha que separei para vocês:



Quero emagrecer somente na barriga e no culote. Tem jeito?
“Para dar essa resposta, precisamos começar por outra pergunta: por que só engordo em algumas áreas?”, questiona o educador físico Paulo Correia, doutor em neurofisiologia pela Unifesp e consultor de WH. Ele explica que o acúmulo de gordura em certas regiões está relacionado à necessidade do corpo de reservar energia. Vale a analogia: se tivéssemos que guardar um combustível em casa, onde o armazenaríamos? Num local seguro e de pequena circulação. O corpo faz o mesmo, e estoca a gordura em áreas que se movimentam menos e, portanto, consomem pouca energia. Seguindo esse raciocínio, é cabível pensar em exercícios localizados para diminuir a gordura local. A verdade, porém, é que eles não ajudarão. O emagrecimento ocorre no corpo todo. É como tirar uns litros de água de uma piscina. A água ao redor preenche a lacuna. Fazendo exercícios localizados, você perderá apenas a gordura que circula na corrente sanguínea. “Para quebrar a gordura localizada, é necessário aumentar o gasto de energia e ter uma alimentação de baixa caloria. Assim, a gordura localizada é quebrada e distribuída para o corpo todo”, afirma Correia.


Ouvi dizer que é melhor comer doce depois da refeição. É verdade?

Sim. “Após as refeições, a absorção do açúcar do doce será mais lenta, porque ele estará misturado a outros alimentos que você ingeriu. As gorduras, fibras e proteínas agirão como uma barreira e vai demorar mais para o açúcar entrar na corrente sanguínea”, explica o nutricionista Guilherme da Matta, especialista em nutrição esportiva pela Universidade Gama Filho, em Belo Horizonte. Mas isso não significa que você deva desprezar as calorias de um petit gâteau. Cedo ou tarde, elas causarão impacto no seu corpo.


Perdi medidas, mas meu peso não diminui. Por quê?
O peso na balança inclui também o do músculo, que pesa mais que a gordura. Se seu percentual de gordura cai e aumenta o de músculos, a impressão é de que você não está emagrecendo, quando na realidade está. “Um bom ritmo de emagrecimento é de 1/2 a 1 kg por semana, o que equivale a 2 a 4 kg por mês. Nessa velocidade, o metabolismo não desacelera e o organismo não atrapalha o emagrecimento”, afirma Alessandra Rascovski, endocrinologista do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, e consultora de WH. Para emagrecer saudavelmente, coma com intervalo de três ou quatro horas, consuma em torno de 1 200 calorias de alimentos com qualidade por dia.


De uma vez por todas: pode comer carboidrato à noite?
“Nesse caso, não há certo nem errado. Use o bom senso”, diz Cláudia Cozer, coordenadora do Núcleo de Obesidade do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). Como o carboidrato é fonte de energia e à noite o gasto energético diminui, deve-se reduzir o consumo do nutriente quando o Sol se põe. “No jantar, limitese a 1 colher de servir de arroz, um pegador de massa ou uma batata média. No almoço, essa quantidade pode ser dobrada”, recomenda.


Qual é a melhor hora de comer salada: antes, depois ou durante o prato principal?
Ao comer os vegetais como primeiro prato, você sente menos fome e ingere menos proteínas, gorduras e carboidratos, que são mais calóricos. “O ideal, porém, é comer a salada junto com o prato principal. Esse hábito obriga você a se servir de menos arroz, macarrão, carne, batata etc.”, diz o nutricionista Luís Cláudio Benevenuto, mestre em nutrição humana pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.


Tento ingerir frutas entre as refeições, mas juro que comer maçã me abre mais o apetite. Por quê?
A maçã tem uma acidez que estimula a liberação de suco gástrico pelo estômago. “Isso faz com que a digestão seja mais rápida e a sensação de fome apareça logo em seguida”, explica o nutricionista Guilherme da Matta. Experimente comer frutas menos ácidas, como banana, que também é fácil de carregar.


É verdadeira a teoria de que, depois que emagrece, o corpo faz de tudo para voltar ao peso anterior?
Sim, o corpo tenta manter sua reserva de energia para alguma situação de desabastecimento. Mas isso não significa que seu esforço será em vão. “Se você conseguir manter todas as ações que a levaram a perder peso, alguns quilinhos podem até voltar, mas você jamais retornará ao peso inicial”, diz Maria Edna de Melo.


Tenho pouca fome ao longo do dia e muita à noite. Como mudar esse hábito?
Todo hábito, para ser mudado, requer força de vontade. Nessa situação, o ideal é induzir a mudança, fazendo refeições frequentes no decorrer do dia. “Faça pequenos lanches ao longo do dia, como um iogurte, um copo de suco, uma porção de fruta ou um sanduíche light”, recomenda Cláudia Cozer. Assim, você mantém seu metabolismo ativo e minimiza o excesso de fome à noite. Outra dica: abuse da água e dos chás sem açúcar, pois a fome muitas vezes é confundida com a sede.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário