segunda-feira, 2 de abril de 2012

Escolhi um Final Feliz para Minha História

Olá Pessoal, hoje não temos o nosso passo para a reeducação alimentar, mas temos uma "injeção" de ânimo, determinação e perseverança! Pedi para a minha querida amiga e paciente participar do nosso cantinho para relatar como está sendo o seu processo de REEDUCAÇÃO ALIMENTAR! 

Leia com carinho...vale a pena:

Me chamo Carla, tenho 28 anos, sou casada e tenho dois filhos. 
Bem, como começar ou melhor onde começa a parte ruim da minha historia não recordo, só sei que desde que me entendo por gente me achava gordinha diante das minhas amigas magras e lindas. Aos dezessete anos conheci o Marcio (com quem namorei dois anos e sou casada a oito) me lembro que tinha vergonha de ir com ele pra praia porque sentia vergonha dos meus 57 kg distribuídos em meu 1,62 de altura. 

Casei-me aos dezenove anos com 57 kg, dois anos mais tarde por problemas hormonais, má alimentação e sedentarismo já pesava 64 kg, me lembro bem dessa época, pirei geral, chegando a ir ao endocrinologista tomar fórmula e fazer dieta, perdi 5 kg em 12 dias, porém minha dieta me levou a passar uma tarde na observação do Hospital tendo que ouvir do meu querido marido dizer que se eu colocasse mais uma baga na boca ele iria fazer eu tomar todas de uma vez só, rsss (olha que eu emagreci não pela fórmula, porque passava fome e ia dormir chorando de fome). Quando parei de tomar os remédios engordei o dobro. 

Com 22 engravidei do meu 1º filho já pesava 74kg, chegando aos 97kg no dia do parto. Quando ele já estava com um aninho eu pesava 76 kg, apenas dois a mais de quando engravidei. Por coincidência ou não, assim que comecei a tomar anticoncepcional trimestral (injeção) engordei em quatro meses 12 kg, ai me apavorei, isso que o Baby mamava muito. Comecei mais uma dieta, do tal “shake” que substituía duas refeições, emagreci em um mês apenas 1kg, porque além de a dieta se tornar cara,  me dava uma dor de cabeça e irritação insuportável, parei de novo. Porém consegui permanecer nesse peso 87 kg durante três anos, quando engravidei novamente. 

Quando minha filha nasceu eu estava com 107 kg, em onze meses voltei aos 87 kg. Que oscilaram entre 87 e 90 kg durante um ano. Nesse período já havia retornado ao trabalho. Um ano depois, recebi uma promoção muito sonhada, porém que acarretou em muito stress, falta de tempo para dormir, sedentarismo, além de eu pular as refeições e quando ia comer, parecia uma louca... 

Nessa fase (maio/2011 à janeiro/2012) ganhei mais 20 kg, junto veio à insônia, stress, dores no peito, asma, dores fortes de cabeça e gastrite. Foi quando por cobrança do meu chefe e amigo, (que não aguentava mais me ver morrer pra trocar duas palavras, toda vez que subia na sala dele, que ficava no segundo andar) resolvi procurar ajuda de um profissional, afinal já estava decidida que pra mim só a cirurgia de redução do estômago poderia resolver meu problema. Porque além de o excesso de peso atrapalhar na minha saúde, já estava interferindo no casamento e no relacionamento com todos, pois eu nunca me aceitei “gordinha” e andava com um complexo de inferioridade horrível. 

Na consulta com o pneumologista indicação de reeducação e prática de exercícios, com o endocrinologista simpatizei mais, pois ele me receitou a tal da sibutramina que além de acabar com meu apetite de leão, disse que se não emagrecesse em 40 dias, já era caso de redução do estômago, só não foi melhor, pelo simples fato de ele me encaminhar pra uma nutricionista. Eu tinha horror à “nutri”, pois vinha na minha cabeça dietas caras, cheias de não pode, diet, ligth. 

Foi nesse estado que cheguei ao consultório da “Nutri” 107,800kg, auto - estima lá embaixo, doente ao ponto de nem conseguir ir pra academia. Pra minha surpresa ao chegar lá me deparei com uma “menina” bem mais nova que eu. De cara meu pré-conceito com as nutris, me fez pensar, o que essa “essa menina” vai fazer por mim? Passar-me uma folhinha cheia de “não pode”! 

Para minha surpresa, essa querida “menina” me recebeu de uma forma toda especial, nem parecia uma nutricionista, minha 1ª consulta foi um misto de “carinho de mãe” do tipo vem aqui que te pego no colo, com um ouvido de analista, pra me ouvir chorar as pitangas, e no final veio àquela folhinha... Mas não era cheia de “não pode” e sim pode tudo, mas na quantidade certa! 

Tenho certeza que isso foi essencial na minha mudança de vida, um anjinho que Deus colocou no meu caminho pra me fazer ver que sou capaz de alcançar aquele sonho perdido (voltar aos meus 57 kg) e assim comecei minha longa caminhada. 

No primeiro mês cortei por conta própria tudo, passei só na saladinha, pão integral, grelhadinhos e frutas. Valeu a pena na segunda consulta lá estava eu feito criança toda feliz ao receber o elogio da nutri pelos 3,800kg eliminados (não gosto de mencionar perdidos, porque não quero encontrá-los nunca mais).

Na 3ª consulta constatei mais 1 kg e algumas gramas eliminados, porém confesso que esse mês já liberei mais, dou uma escapada, porém quando isso acontece não me encho de culpa, simplesmente compenso diminuindo a quantidade de calorias na próxima refeição ou no outro dia, assim não quebro a dieta me iludindo ou desanimando, ou deixando pra começar na próxima segunda. 

Minha vida está mudando radicalmente, já consigo malhar 3 vezes na semana durante 1hora. Estou mais confiante e bonita, por dentro e por fora. 

Quando sai do consultório na primeira consulta sai com uma convicção ou saia dali me acomodava e continuava engordando ou quem sabe emagrecesse fazendo cirurgia, ou escolhia levantar a cabeça, lutar e no final de tudo vencer meu maior inimigo “eu mesma” e ser feliz. 

Por mais difícil e demorado que seja eu escolhi a segunda opção, como diz minha nutri-amiga Rafa: “Devagar e pra sempre” tenho mudado meus hábitos ruins, e tenho a certeza que vou chegar ao meu objetivo! 

Nutri valeu pela força! O Blog, o face, os e-mails tem me ajudado muito quando o desânimo tenta chegar... Quando eu chegar lá no pódio com meus 50 kg a menos saiba que esse prêmio também será seu, pelo carinho, dedicação e paciência. 

“Gordinhas-infelizes” porque tem as “gordinhas-felizes”, tenham a determinação para recomeçar e conquistar seus objetivos, nossa mudança começa de dentro pra fora. 

Vamos comece a dieta, pratique exercícios, devagar os pequenos sinais começam a aparecer e nos mostrar que todo sacrifício é valido, desde que seja saudável! 

Carla C. M. Machado 

“Tudo posso Naquele que me fortalece” 

Ps: Assim que alcançar meu objetivo, peço pra Nutri postar minha foto do antes e depois!

UAU, que história não é mesmo? Acredito que muitas pessoas estão passando por isso, espero que possamos lhe ajudar com o empurrão inicial e como bem a Carla falou "tenham a determinação para recomeçar e conquistar seus objetivos, nossa mudança começa de dentro pra fora". Aguardem a Carlinha vai participar mais vezes contando como está o seu processo de REEDUCAÇÃO ALIMENTAR!

Um comentário:

  1. Belo depoimento!
    Felicidade e saúde é tudoooo!
    Beijos!

    ResponderExcluir