sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Outubro Rosa: "Os genes carregam a arma.O estilo de vida puxa o gatilho" (Dr Elliot Joslin).



Tumor existe desde que surgiu a vida em nosso planeta. Para entender de forma mais simples, vamos lembrar que nosso organismo é composto por mais de 60 bilhões de células e cada uma tem uma função diferente, mas sempre estão coordenadas entre si e se dividem de forma periódica, ordenada e controlada. Quando as células envelhecem e morrem são substituídas por outras exatamente iguais, de modo que tudo continue funcionando conforme o esperado, esse processo acontece diariamente desde que nascemos. O ritmo de crescimento, funções, capacidade para divisão para produzir novas células são determinadas pelo material genético, o DNA. Quando esse processo "falha" por algum motivo começa uma multiplicação descontrolada, formam-se novas células em um momento que o organismo não precisa, e as estruturas "velhas" não morrem quando deveriam morrer. Essa "bagunça" é consequência de uma troca ou mutação no DNA da célula. E essa mutação é o resultado de uma agressão exterior, originada normalmente por um substância carcinogênica, um vírus ou excesso de radicais livres. Mas o nosso corpo tem um mecanismo protetor para esse acontecimento, que é chamada de apoptose ou morte celular programada, que nada mais é do que um processo fisiológico para que essas células se autodestruam sem deixar sequelas. O problema surge quando a mutação do DNA é muito forte a tal ponto que a célula lesionada não consegue responder aos sistemas de controle, com isso a estrutura fica danificada e assume um comportamento anormal quanto a sua capacidade de se dividir, produz um crescimento celular excessivo, que dá lugar ao aparecimento de um volume ou tumor. 


Mas o que torna um tumor maligno ou benigno?
O tumor benigno é aquele que se encontra bem localizado, e as células que o constituem não possuem capacidade de invadir tecidos vizinhos e nem de destruir outros órgãos. Já o tumor maligno, ou seja o câncer, é quando as células também perdem as características físicas originais e são incapazes de realizar funções próprias do mesmo tecido de sua procedência e, além disso, tendem a invadir as estruturas vizinhas. Essas células cancerígenas tem uma grande capacidade de deslocamento, de modo que podem se desprender e viajar através da corrente sanguínea ou linfática, por isso podem invadir outros órgãos e tecidos, onde formam novas colônias tumorais ou metástase.

"Os genes carregam a arma. O estilo de vida puxa o gatilho" (Dr Elliot Joslin).

Como nutricionista quero chamar a sua atenção para formas de PREVENÇÃO através da ALIMENTAÇÃO! Fazer exames, check ups são importantes também, mas muitas vezes quando você recebe o diagnóstico é porque a doença já está presente, e alguma coisa está falhando. Por isso, a mudança de hábito é muito importante e essencial. Hoje, já sabemos que muitos agentes agressores dependem do nosso estilo de vida: alimentação desequilibrada, o tabaco, álcool, contaminação ambiental, estresse, sedentarismo, deixam nosso sistema imunológico, ou seja nosso "soldados" debilitados não desempenhando o seu papel fundamental que é nos proteger. 

Dou exemplo no consultório, se você comprou um carro zero km, com certeza vai querer colocar a melhor gasolina, levar ao melhor mecânico, usar o melhor óleo para o motor, certo, economiza em outros itens e não poupa no carro. Assim tem que ser com o seu ORGANISMO, as melhores escolhas SEMPRE! Precisamos aprender a refletir sobre o quanto os alimentos que ingerimos diariamente podem influenciar a nossa saúde e bem-estar. 

Para ajudar  podemos seguir 3 regras básicas:

Regra número 1: FICAR LONGE DE PRODUTOS QUE POSSUEM EM SUA COMPOSIÇÃO
Escreva esses nomes no seu celular/caderno e cada vez que for ao mercado olhe a lista de ingredientes do produto, se tiver qualquer um dos nomes citados abaixo, não leve! Simples assim, quando você tem a informação fica mais fácil dizer não!
Nitrito, Nitrato: peito de peru, presunto, mortadela, linguiça, salsicha...
Glutamato Monossódico: caldos prontos em pó, hamburguer industrializado, salsicha, alguns produtos enlatados, salgadinhos, 
Gordura Hidrogenada ou Gordura Trans ou Gordura Interesterificada: margarina (mesmo aquela que diz que cuida do seu coração), biscoitos recheados, sorvete, biscoito "integral "...
Adoçantes Artificiais: sucralose, aspartame, ciclamato, acessulfame 
Corantes: presente em refrigerante, balas, iogurtes...
Xarope de Milho/Glicose/Glucose: açaí, barra de cereal, iogurtes com caldas...

Regra número 2: MODERAÇÃO NO CONSUMO 
Carnes: bovina, suína, frango (a forma que os animais são criados, alimentados, excesso de hormônios, etc)
Farinhas brancas e produtos preparados: pães, bolos, massas
Óleos Vegetais: milho, girassol, soja

Regra numero 3: CONSUMO LIVRE
Frutas, Verduras orgânicas
Alimentos Orgânicos:  cereais integrais, vinagre, azeite, bebida vegetal, melado...

Importante lembrar que além de evitar os alimentos que podem conter substâncias nocivas, para desfrutarmos de uma boa saúde é essencial que a nossa dieta seja VARIADA, EQUILIBRADA E SAUDÁVEL. 

Nos próximos dias vou continuar com o tema ALIMENTAÇÃO E PREVENÇÃO!

Nenhum comentário:

Postar um comentário